Meu Perfil
BRASIL, Homem, Gastronomia, Prosear com Amigos



Histórico


Categorias
Todas as mensagens
 *receitas


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis


 
Blog do Joao Tomate


CONTEÚDO DO BLOG

 

ESTOU MONTANDO UM NOVO BLOG ONDE ESTÁ MAIS FACIL CONSULTAR OS TEXTOS POSTADOS DE UMA OLHADA E ENVIE SUA OPINIÃO

www.joaotomate.blogspot.com

 

Sempre percebi a dificuldade em encontrar algum assunto no blog, por isso estou fazendo um sumário com o conteudo. Vai ficar mais facil encontrar os assunto pesquisando por data de publicação:

 

PASSEANDO PELA COZINHA – RECEITAS E CAUSOS

 

 

 

12/07/2009 FRANGO COM AÇAFRÃO

18/07/2009 – BALA PUXA–PUXA

29/07/2009 DOBRADINHA COM FAVA A LA PEDRO MOLA

05/08/2009 – BRUSCHETAS

13/08/2009 – CARNE DE COBRA

29/08/2009 – NHOQUE

29/08/2009 – VESPERATA COM CARNE SERENADA E ARROZ COM BOCOLIS

09/08/2009 – RISOTO DAS VEREDAS

20/08/2009 – PIZZA MARGUERITA

22/02/2010 – CUBU

04/05/2010 – MOJITO – DRINK CUBANO

08/12/2010 – DOBRADINHA FRITA

 

13/03/2010 – FRANGO CAIPIRA COM BOLINHAS DE FUBÁ DE MUNHO D'ÁGUA

 

09/02/2011– BOLO DE LIMÃO

08/05/2011 CARNEIRO A LÁ JORGE RAGGI

 

 



Escrito por joao cesar do carmo às 14h10
[] [envie esta mensagem] []



CARNEIRO A LÁ JORGE RAGGI


 

Jorge Pereira Raggi é daqueles amigos que se deve guardar com muito carinho, passar pelo seu escritório é sempre bom, aprende muito, escuta bons casos e se leva para casa só um sentimento  "PRECISO PASSAR MAIS VEZES PELA GEOCONOMICA". Na última festa que nos encontramos tive o prazer de conhecer a Isabel, dona de sorriso doce e de uma conversa muito gostosa. Neste dia falamos em bastante sobre comida e o Jorge siau coma idéia de preparamos um carneiro. Iniciamos os preparativos e a busca das agendas. Afinal meu amigo tem uma agenda cheia.

Num sábado logo pela manhã chega o Jorge, acompanhado pelo irmão Alfredo, em minha casa com dois pernis de carneiro, sentamos prosemos Alfredo, médico cirurgião em Aimorés, tomamos uma café e falamos sobre a região lestes das Gerais. Terra de gente valente de com muitas histórias onde o cabra atirava no outro só para ver de que lado dobrar

Voltando ao carneiro foi comprado do Sr Kemel que tem um açougue no Prado, bom lugar para comprar carnes especiais como: carneiro, cabrito, coelho,leitoa etc, podem passar que serão bem atendido, o Sr. Kemel mora na Rua Cel. Pedro Jorge 71.   Neste dia marcamos então o almoço para o domingo, pena que Alfredo não poderia se estar entre nós, estaria retornando a Aimorés.

A prosa foi se estendendo e discutimos alguns detalhes do preparo. Jorge ligou para uma amiga pediu umas finas para o preparo (finas é coisa de quem passou pela Escola de Minas, Jorge Raggi é um dos ilustre Geólogos graduado na EMOP) conversei com outro amigo, li uma receita no site de um restaurante e fomos formatando a receita.

Primeiro apresentação dos convidados Marcelo Nassif e Andréia, Pedro e Isaura, Augusto e Ana, Dona Tereza, Celinho, o meu neto querido Arthur e lógico Jorge Raggi e Isabel. Pois é, de propósito só coloquei os sobrenomes dos representantes do “Império Otomano”, afinal na minha época de infância eram todos “Turcos”, comerciantes, em Ituverava tinha vários “Brimos” donos de lojas amigos de longa data.

Vamos à receita do carneiro. No sábado a Noite coloquei os pernis sobre a bancada da pia e comecei. Primeiro, servi uma cachaça, esta estava guardada desde fevereiro, esperando uma data especial, vem de São Gonçalo do Bação ( Itabirito), é muito boa mais dificil de conseguir o dono da cahação fabrica com tanto carinho que tem ciumes da cachaça. Outro dia a Maria Lucia esposa do Cachaçeiro (fabricante) comentou que o cara tem mais ciúmes da cachaça do que dela.  Uma cerveja para aompanhar e vamos ao trabalho.

 Fervi uma pouco de água e dei uma escaldada na carne, depois limão, providencie alguns limões rosa que também obedecem pelo nome de capeta, china etc., bastante limão esfregando na carne. Em seguida preparei uma vinha d’alhos, batendo no  liquidificador:

 4 dentes de alho

1 cebola grande

2 ramos de alecrim

2 ramos de tomilho

Cebolinha e salsa

1 pimenta malagueta

Pimenta do reino branca

1 copo de vinho branco secoAzeite.


 

Usando sacos plásticos, deixei os pernis no tempero de um dia para o outro, lógico na geladeira, e não se esqueça de virar de vez em quando.  Depois deste esforço todo abri mais uma(s) cerveja e tomei mais duas cachaças, acabou a cachaça do Bação então fui  jogar vídeo game como o Arthur.

 No dia seguinte, domingo levantamos mais tarde, e iniciamos o dia. Passando pelo Ckeck List:

·       1. cerveja no ponto;

·       2. tira gosto sob controle;

·       3. garrafas de vinhos duas, o Pedro ficou de trazer a terceira;

·       4. Refrigerantes ok.

Então vamos a luta:

Pernil fora da geladeira, sobre uma tabua reservando a vinha d’alhos. Já da para notar que o bichinho já está diferente... com a carne mais tenra... com uma cor diferente... e um cheiro fantástico, o alho e alecrim invadem a sua cozinha. Neste ponto está na hora de tomar a guia, agora Passatempo, e abrir a primeira garrafa de vinho. Voltando ao pernil injete um pouco do tempero reservado na carne, faça alguns cortes, na carne com uma faca afiada e coloque alguns dentes de alho inteiros.

 Regue com bastante azeite,embrulhe num papel alumínio e leve ao forno. Primeiro no fogo alto 250 ° c, 15 minuto, depois volte o fogo para 180 ° e deixe umas três horas, o tempo vai depender do peso do pernil mais é para assar bem devarinho. Num dos cantos do tabuleiro, coloquei 3 cabeças de alho inteiras, azeite nelas - vai dar um tira gosto fantástico.

 

 

Neste ponto vamos os acompanhamentos. Arroz branco, batatas bolinhas, cebolas pequenas, abobrinhas salteadas e cuscuz marroquino (este não conhecia vi a receita num restaurante). A base para o cuscuz encontra no mercado central. Neste caso esperei a chegada do Marcelo e do Jorge para decifrar as instruções do preparo. Na caixa as instruções estão em árabe, tá bom, também tem o como fazer em português, mais como Turco é Turco, espertos não sei se a tradução estava correta.

 O arroz branco deixei na primeira água, as batatas bolinha com casca, depois de lavadas, enrole no papel alumínio e coloque num canto da forma que está assando o pernil. A abobrinha, corte rodelas com largura de 2cm e reserve.

Está na hora de abrir a segunda garrafa de vinho, os amigos já chegaram, menos Pedro Mola, nada de novo, preferiram a cerveja e tome prasa, amenidades, relembrando casos e causos da geologia da política. Os dois deixam de ser turco assumem a descendência Libanesa. Politicamente um é PSDB e outro do DEM.

Pedro e Isaura chegaram e completou o grupo de amigos convidados. Fazendo um parênteses conto um acontecido, chegando à mesa onde o pessoal estava proseando, vi que um qudro que tenho na área estava numa posição diferente que tem ficado. Trata-se de mapa da America do Sul que tenho mantido de cabeça para baixo, homenagem ao artista Uruguai Garcia Torres que pintou desta forma. Bom, vou tentar decifrar quem virou o quadro: pode ter sido o Jorge, pois fiel ao DEM (amigo da senadora Catia Abreu) deve ter achado que a minha posição política, anárquico socialista, está conspirando contra ordem social da America do Sul, a outra opção fica com o Pedro que como comunista juramentado ficou com medo do Hugo Chaves despencar pelo rio da Prata. O Marcelo Nassif certamente não foi: PSDB que se preza no máximo fica olhando para tentar entender..... tomar posição?? Nem. 

 

O carneiro já está há quase três horas no forno, dei uma olhada e já bem tenro, Hora de tirar o papel alumínio, incorporar as batatas bolinhas (que estão pré-cozidas) as cebolas, mais azeite, se necessário, de volta ao forno, por mais 45 minutos para corar.Nesta ultima fase olho vivo regue varias vezes a carne com o líquido do tabuleiro... sei lá ... a cada dez minutos.

Quando o pernil estiver dourado, cheiroso, bonitão é hora de retirá-lo do forno mais enquanto isso vá terminando os acompanhamentos:

Cuscuz Marroquino : ingredientes

Massa do cuscuz - basta colocar em água quente

Berinjela, cebola e Pimentões (verde e vermelho) em cubinhos

Azeitona em pedaços,

Passas e amêndoas

Cebolinha e salsa

misture com o Cuscuz e coloque numa vasilha para dar forma.

Mais uma cebola em tiras e leve ao fogo com um pouco de mel para caramelizar. Desenforme a cuscuz jogue a cebola caramelizada por cima e está pronto.

 

 

A abobrinha salteada vi num programa do Olivier  ficou boa

Prepare as abobrinhas cortando em rodelas, aqueça a frigideira, coloque a manteiga e o fio de azeite coloque as abobrinhas, desfolhe o tomilho, doure as abobrinhas de um lado, vire, tempere com sal e tomilho a deixe dourar.

O arroz coloque a segunda água para terminar.

O carneiro pronto retire da assadeira e fatie sobre uma tabua, coloque numa travessa e regue com um molho feito da seguinte forma;


 ·        Escorra o excesso de óleo a da assadeira, sobre a chama do fogão, acrescente um copo de vinagre balsâmico de uma mexida e jogue uma farta porção de folhas de hortelã, jogue sobre a carne e vamos à mesa.

 Antes abra uma garrafa de vinho bem encorpado e convida os amigos para o almoço. Em especial neste levei a mesa uma garrafa “RUM HAVANA CLUB AÑEJO RESERVA” legitimo.


 

 

 

 

 



Escrito por joao cesar do carmo às 01h36
[] [envie esta mensagem] []



FRANGO COM BOLINHAS DE FUBA DE MUNHO DÀGUA

 

Cozinha temperada com prosa

 

Minha mãe cozinhava exatamente;

arroz, feijão roxinho e molho de batatinha,

mas cantava.

(Adélia Prado)

 

Cozinhar trata-se de uma diversão, um passeio por uma infinidade de alimentos e seus temperos que no leva a descobrir em cada degustação um novo sabor. A coragem de ousar na cozinha, combinando tempero, ervas carnes, massas e vegetais, o que resulta em belos e saborosos pratos tornando o cozinhar um hobby fascinante.

 

Ao longo dos anos dos trinta de profissão a geologia me proporcionou uma vasta coleção de viagens, conhecendo pessoas maravilhosas, restaurantes de todos os níveis e principalmente os botecos – estes sim sempre, invariavelmente, fantásticos. Nesses ambientes conheci pessoas interessantes, ouvi e participei de casos, causos e experiências de vida inimagináveis por este Brasil a fora. Nesses anos entendi quanto é gostoso praticar a arte de cativar uma amizade, conhecei nos butekos por onde passei; de damas a camofas e até freiras, garimpeiros a porteiros de hotéis e benzedores, todos doutores na impessoalidade de cada pensamento. Nesse caminho tenho a certeza de que aprendi o quanto é importante (com)viver - conhecer pessoas, pensar diferente a cada dia e ainda assim seguir a ordem natural das coisas. - mesmo que elas sejam o inverso de tudo o que se espera ou acredita. O que vale a pena é valorizar as amizades, os momentos, que, em sua unicidade, mostram que estou em companhia de pessoas capazes de dar uma nova cor a cada novo dia.

 

Assim no meu tempo tenho reservado alguns finais de semana para as minhas experiências culinárias, rodeado por amigos vamos relembrando casos que contam a história do nosso tempo, não precisam perguntar... a conversa é sempre regada a, cervejas, vinhos, tira gostos, e/ou as belas cachaças das Gerais. Neste espaço vou compartilhando minha experiência na cozinha com a prosa dos amigos fazendo a a história do nosso tempo.


NA terça deste carnaval com muita chuva a prosa teve por foco as viagens e contatos que o geologia nos oferece assim Mauro, Sergio, Kinha, eu e Tereza ..... passamos um belo dia, em casa regado a cerveja, a cachaça do Elias (que esta fabricando cachaça no Bação ali perto de Itabirito) depois saiu até um "PISCO SAUER". O almoço um prato simples mais que agrada:

Trata-se de um frango que conheci durante uma viagem ao norte do Mato Grosso/ sul do Pará, depois de muito tempo vi esta mesma receita numa revista de bordo da GOl ou TAM

A revista trouxe o nome de Frango Bori Bori - porém conheci como frango com bolinhas de angú. Decifrar o nome fica para os amigos e amigas: 

Ingredientes:

1. frango em pedaços bem temperado

2.cebola picadinha, 3 dentes de alho amassado uma pimenta só para mostrar a presença e açafrão.

PARA AS BOLINHAS

3 xicaras de fubá de "moinho dágua"

1 xicara de queijo canastra ralado

sal a gosto

COMO FAZER

 

tempere o frango e de uma fritad nos pedaços em óleo até dourar suavemente

retire o execso de oléoe frite a cebola e o alho com um pouco de açafrão - deixe o perfume se espalhar pela cozinha.

Agua e deixe cozinhar - coloque mais água pois parte do caldo vai servir para preparar as bolinhas de fubá

 

BOLINHAS

misture o fuba, queijo ralado, sla e um pouco do caldo do frango o suficiente pra dar uma liga aos bolinhos.

enrole as bolinhas do tamanho de um 3 a 4 cm de diâmetro, cuidado muito pequnas elas irão desmanchar no cozimento.

 

FINALIZANDO

Na panela do frango arrume os pedaços num lado e no outro vá colocando, com cuidado, as bolinhas de fubra. deixe ferver não mexa.

Na hora de servir, arrume em uma vasilha o frango e as bolinhas regue com o caldo que sobrou e por cima um pouco e cheiro verde para dar um colorido especial


 


 



Escrito por joao cesar do carmo às 10h51
[] [envie esta mensagem] []



VAMU CUMÊ

Siné, Sinézim, Guarda Roupa são alguns dos "Apodos" do meu grande amigo. Tenho insistido para que envie uma de suas receitas para abrilhantar meu blog, Hoje recebi a receita de um bolo de Limão que prometo experimentar em breve, junto com receita veio uma história de Buriti das Mulatas, um pequeno povoado situado nos arredores de Pirapora, terra da familia do amigo: 

"Começou a colheita de limão. O povoado de Buriti das Mulatas, 150 habitantes, é uma festa só nesse período. A colheita reúne gente de todos os lados.  Vem gente de Contria e Santa Teresinha do Abricó e Azedinha e até os de Pirapora, que se juntam com os do Capão Redondo e vêm em caravanas de ciganos estrada afora. Aí é que os moradores ficam animados.

 Antônio de Eugênia, o Baba-cítrica, conta que essa época é a melhor do ano em Buriti das Mulatas. “Essa é nossa festa de carnaval, porque isso vai implicar numa folia que dura uma semana.  E quem tem compromisso com trabalho vai ter problemas”. Isso porque o pessoal cai na caipirinha pra valer. É gente bêbada pra todo lado. Haja limão pra festejar. Desce de São Pedro dos Limoeiros, o grupo de forró Sumo de Galego que inverna por três noites e dias tocando Gonzagão e Jackson do Pandeiro. O que faz vários foliões perderem os sapatos e ficarem por muito tempo tentando achá-los nos pés dos outros.

 Devido à farta safra do limão, o faturamento das biroscas de rua sobe em muitas vezes. É pudim de limão, suco, doces variados e o famoso bolo de limão, que crianças e velhos e as moças que não bebem se esbanjam comendo com café e leite de cabra."

Bolo de Limão

Ingredientes

3 xícaras (chá) de farinha de trigo

2 colheres (chá) de fermento em pó

1/2 colher (chá) de sal

200 g de manteiga em temperatura ambiente

2 xícaras (chá) de açúcar

4 ovos

1 xícara (chá) de leite

raspas de 2 limões

manteiga e farinha de trigo para untar e polvilhar

Para o glacê

1/3 xícara (chá) de suco de limão peneirado

2/3 xícara (chá) de açúcar

Modo de preparo

Unte com manteiga uma forma de bolo com furo e polvilhe com farinha de trigo.

Bata a manteiga até ficar fofa. Adicione o açúcar e misture. Junte os ovos, um a um, batendo bem. Adicione os ingredientes peneirados aos poucos, alternando com o leite e batendo para misturar. Adicione as raspas de limão e misture com uma espátula. Transfira a massa para a forma.

Leve ao forno pre-aquecido (180°) por 45 minutos. Espete um palito no bolo para verificar o ponto: se sair sujo de massa, deixe assar mais um pouco. Depois de pronto,  deixe esfriar por 10 minutos. Enquanto o bolo esfria, misture bem, numa tigela, o suco de limão e o açúcar. Num prato grande, desenforme o bolo e espalhe o glacê com uma colher. Sirva em seguida com sorvete de creme.



Escrito por joao cesar do carmo às 22h26
[] [envie esta mensagem] []



Feliz 2011

Aos meus amigos e amigas deixo uma mensagem de final de ano na forma de um poema de Drummond

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,

a que se deu o nome de ano,

foi um indivíduo genial.

Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no

limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e

entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra

vez, com outro

número e outra vontade de acreditar que daqui pra

diante vai ser diferente

(Carlos Drummond de Andrade)

 



Escrito por joao cesar do carmo às 23h28
[] [envie esta mensagem] []



Boas Festas



Escrito por joao cesar do carmo às 11h20
[] [envie esta mensagem] []



PARABÉNS ANINHA

Ontem, dia 07/12, foi um dia especial formatura da turma de Enfermagem  da PUC- MG 2010. O especial se aplica pois, entre os formando estava a Ana Tereza. Conheci Aninha ainda garotinha numa viagem de férias, certamente uma das melhores férias de minha vida. Na ocasião bricavamos com Ana cantando: 

Era um biquíni de bolinha amarelinha tão pequenininho
Mal cabia na Ana Maria

Biquíni de bolinha amarelinha tão pequenininho
Que na palma da mão se escondia

 

O tempo foi passando e Aninha buscando os seus caminhos e conquistando os seus espaços, hoje vejo que o talento, a força de vontade e a persistência, de uma jovem doce, alegre, inteligente conseguiu marcar gol placa no jogo da vida.

Parabéns, que esta etapa vitoriosa de sua de sua vida seja a base para o seu sucesso profissional pessoal

 

Voce merece.



Escrito por joao cesar do carmo às 16h14
[] [envie esta mensagem] []



Lembrando Chico

 

 

Passeando pela rede busquei uma letra do Chico, musica de grandes recordações: Ouro Preto, Republica Butantan, RanKa, Kamofa, Golos, Bentas, Vzero, 12s e lógico grandes amigos, afinal não tem como esquecer os tempos vividos na PALEOCAP:

Com açúcar, com afeto, fiz seu doce predileto
Pra você parar em casa, qual o quê!
Com seu terno mais bonito, você sai, não acredito
Quando diz que não se atrasa
Você diz que é um operário, sai em busca do salário
Pra poder me sustentar, qual o quê!
No caminho da oficina, há um bar em cada esquina
Pra você comemorar, sei lá o quê!
Sei que alguém vai sentar junto, você vai puxar assunto
Discutindo futebol
E ficar olhando as saias de quem vive pelas praias
Coloridas pelo sol (esta frase é fantastica)
Vem a noite e mais um copo, sei que alegre ma non troppo
Você vai querer cantar
Na caixinha um novo amigo vai bater um samba antigo
Pra você rememorar
Quando a noite enfim lhe cansa, você vem feito criança
Pra chorar o meu perdão, qual o quê!
Diz pra eu não ficar sentida, diz que vai mudar de vida
Pra agradar meu coração
E ao lhe ver assim cansado, maltrapilho e maltratado
Como vou me aborrecer? Qual o quê!
Logo vou esquentar seu prato, dou um beijo em seu retrato
E abro os meus braços pra você.

 O Dago que fez parte desta história comentou:
Já notou que ultimamente as músicas não tem letra? Tem no 3 ou 4 frases e um refrão...(de qualidade duvidosa) Estou assistindo no programa da Inesita Barroso (Viola, Minha Viola) uma dupla caipira cantando "Cavalo Enxuto". Logicamente a dupla não tem a qualidade do Tião Carreiro e Pardinho, mas dá pro gasto Abraço Dagô




Escrito por joao cesar do carmo às 10h08
[] [envie esta mensagem] []



Bacalhau do Jacaré

Outro dia recebi do Pedrão uma mensagem sobre critérios para compar um bom Bacalhau,

A msg me levou a história que ocorreu num verão que estive em Castelhano-ES, perto de Guarapari,  já era final de de temporada e  os turista já estavam minguando, então fiquei amigo do pessoal da barraca da praia, O garçon era conhecido como "Jacaré" - lógico o Tchan era só sucesso.
Numa manhã aportei numa mesa, na sobra da barraca, e iniciamos (eu e Tereza) a dura labuta de um dia de praia.
Nisso chegou uma familia, sei lá uma dez pessoas, Jacaré logo se alvoroçou, " Hoje sai um trocado dos bãos" .Pegaram o cardapio e danaram a pedir tubainas e cocas, Jacaré só coçava a cabeça. De repente a senhora fez um pedido  - Ei Garçom uma porção de bolinho de bacalhau.
Logo vem Jacaré com a porção - não demora e senhora -  volta a chamar-
Garçom por favor - este bolinho tá com gosto de peixe!!cade o bacalhau???
Jacaré deu uma nova coçada na cabeça e mandou
Minha senhora aqui no Espirito Santo  qualquer Peroa salgado vira bacalhau.
 
Então Pedrão cuidado



Escrito por joao cesar do carmo às 22h24
[] [envie esta mensagem] []



A Dificil Escolha - Eleições 2010

Amigos e amigas, ao longo da campanha desta campanha o que me impressionou foi a falta de empolgação do povo brasileiro, principalmente dos jovens, com o pleito. Apenas na semana que antecedeu ao primeiro turno senti um movimento que tentava alertar aos candidatos que o segundo turno aconteceria. Era a população dando aos candidatos mais uma chance para discutir seus projetos políticos, pena que os candidatos repetiram o primeiro turno, não disseram nada, simplesmente continuaram escondidos atrás de seus marqueteiros.

 

Assistindo os programas eleitorais ou lendo a enxurrada de e-mail recebidos diariamente só tive a convicção que não deveria votar em Dilma ou em Serra. Mesmo assim, quando coloco minha posição de não votar, ou seja, anular vem alguém querendo me convencer que eu tenho que escolher o menos pior...

 

Nos meus 55 anos, sempre apoiei e vou continuar apoiando os movimentos sociais que lutaram lutam por um país mais justo, uma sociedade igualitária, sempre estive ao lado dos que defendem a liberdade de expressão, dos que cantaram o “Peixe Vivo” para o General Figueiredo em Ouro Preto em 1979, das diretas já, dos que fundaram o Partido dos Trabalhadores, cantei Lulalá, várias vezes, apoiei os caras pintadas enxotando o Collor...

 

Durante anos acreditei que o PT seria o meio de avançar rumo a um país melhor para todos e me decepcionei... da mesma forma que critico a política de privatização do PSDB, de onde deve ter saído rios de dinheiro para os bolsos de alguns o PT também mergulhou no mar de corrupção, onde pessoas antes tidas como inatingíveis, Jose Dirceu, Palocce, Genuino usaram de cuecas e outros meios para mais uma vez espoliar o povo brasileiro ...

 

Neste momento já me decidi não voto no menos pior, minha posição é pelo voto nulo. Esta mesma decisão tomei na eleição em que Tancredo e Eliseu disputaram o governo de Minas. Vejam os eleitores do Eliseu Resende hoje votam PT irão eleger Dilma. Será que evoluiram politicamente ou sempre votam em coronéis.

 

Daí, meus amigos e amigas, a minha decisão depois de tudo que já li, escutei e vi, é dizer SIM a minha consciência, anular o voto e poder criticar qualquer um que chegar ao poder, e quem sabe recomeçar a luta para tentar viabilizar um projeto descente para 2014.

 

Ainda hj recebi uma cobrança por não ter comparecido para votar no segundo turno.
Lógico no primeiro fui de Plinio
Para os cobradores tenho a dizer:
 
Só deixarei que me chamem de ideologicamente ultrapassado, antiquado, gagá e etc .....
quando as velhas questões que sempre combati deixarem de existir.
Viva o socialismo!
 
Abraços
João Cesar



Escrito por joao cesar do carmo às 23h02
[] [envie esta mensagem] []



NOTA TRISTE

Faleceu no último sábado em Belo Horizonte o Geólogo Waldemir Barbosa Cruz. Waldemir era egresso da 1ª turma de Geólogos da Universidade Federal de Pernambuco (1961). Nos seus 50 anos de profissão se tornou uma referência na hidrogeologia brasileira tendo atuado na SUDENE/CPRM e CETEC. Em 1975 veio para Minas Gerais onde, ao lado do  Geólogo Fernando Gomes Jardim, montou a equipe de Recursos Naturais do Centro Tecnológico de Minas Gerais - CETEC,  que contava com profissionais da geologia, pedologia, geomorfologia, hidrogeologia, climatologia e recursos vegetais.



Escrito por joao cesar do carmo às 21h47
[] [envie esta mensagem] []



Maio

 

O sorriso que tenho nos lábios é um sorriso geológico - o sorriso de quem sabe, olha, vê e compreende.( Monteiro Lobato do livro o Poço Do Visconde)

O mês maio guardou algumas festas interessantes: no inicio comemoramos de 10 anos da Carmo e Delgado Geólogos Consultores uma bela festa com a presença de  muitos amigos.

Na ultima quarta - feira, dia 26, a SEMOP-BH - Sociedade dos Ex-Alunos da Escola de Minas de Ouro Preto - homenageou os formandos da primeira turma de Geologia do Brasil, que neste ano, comemora 50 anos de formado.

Dia 30/05 dia do Geólogo.

 



Escrito por joao cesar do carmo às 22h59
[] [envie esta mensagem] []



receitas cubanas

A principio não iria mais publicar notas sobre a viagem - afinal já passou um tempo - Em seguida tivemos uma bela festa na República em Ouro Preto, com varios ex-alunos. Porém hj recebi uma mensagem pedindo a publicação de receita do famoso drink "MOJITO".

Este drink ficou famoso por ser o preferido de Hemingway na Bodeguita Del Médio - A receita que vou enviar foi passada por uma camarera (garçonte em espanhol)  em Varadero:

Lá vai a receita em espanhol - treinando para a proxima viagem a Cuba

azúcar   1/2 cuchara

jugo de 1/2 limón mais duas fatia -

Yerbabueba

cubos de hielo

Ron Blaco

água gaseosa

Preparación

En un vaso de jaibol diluir bien con un poquito de agua de soda. Añadir hojas de yerbabuena y machacar el tallo (sin dañar las hojas) para que suelte el jugo. Cubos de hielo. Agregar 1 1/2 dose de ron blanco.

Llenar el vaso con agua de soda y revolver.
Mande noticias sobre como ficou - caso queira ainda tenho um pouco de Ron Blanco cubano 

 

 



Escrito por joao cesar do carmo às 21h54
[] [envie esta mensagem] []



João Pé de Rodo 3 - Contribuição do Henrique ou melhor Parafuso

CASOS DO PÉ DE RODO/ CENTENÁRIO

 

                                 O EMPRÉSTIMO

 

 

 

Lá pelo ano de 82 a República Casa Nova, vizinha da Butantan, resolveu promover certo almoço ou jantar para alguns ex-alunos que estavam de passagem por Ouro Preto, mas a república não tinha talheres e pratos para todos os convidados.  Sendo assim, enviou um calouro, popularmente bicho, até a Butantan para pegar o material que faltava.

 

Na época o Henrique, vulgo Parafuso, fez o empréstimo sem nenhuma complicação, como era comum entre as Republicas da Praia do Circo. Porém outro morador da Butantan, o Itamar popular Baixim, que sempre gostou de uma confusão, procurou o ilustre João Pé de Rodo e contou que o Parafuso havia doado todos os talheres e pratos da Butantan para a República Casa Nova.

 

Diante de tal fato João Pé de Rodo, defensor ferrenho da Butantan, procurou o Parafuso e deu a maior dura, ordenando que os talhares “doados” deveriam retornar imediatamente à Butantan. O Parafuso tentou explicar, mas o João não se convenceu, preferiu acreditar no Itamar. Nestas situações o João ficava violento e agredia com o que estivesse mais perto, chute na canela, paulada nas costas etc. o que obrigou o Parafuso a dormir de porta trancada e ficar sempre alerta, pois sabia que a qualquer momento poderia ser surpreendido com alguma bordoada.

 

Uma pausa, a República conta com vários casos de moradores que levaram bordoadas do João, tiveram que sair pela janela do quarto ou dormir com a porta trancada para não ser surpreendido pelo Pé de Rodo, uma aconteceu com o Malária (vulgo Vicente ou, para os mais íntimos Juninho), que certa vez teve que pular a janela de seu quarto fugindo do Pé de Rodo que com um cabo de vassoura tentava acertá-lo. Lógico,  o Malária havia começado a provocação, pouco antes baixou as calças  mostrado aquela bunda branca para o João, que fiou uma fera.

 

 

Voltando ao caso do empréstimo dos talheres, acabou a festa a situação se resolveu, mas Parafuso continuava desconfiado. Certo dia, estava tomando banho, claro, à porta estava aberta seguindo norma da republica, foi então que a porta do banheiro se abriu e soou um arrastar de pés, o Parafuso percebeu que a coisa poderia ficar complicada, pois estava em um espaço confinado e sabia que poderia ser presa fácil para o ataque do João. Silencio total barulho só do chuveiro, então o ilustre João Pé de Rodo fez a tradicional pergunta: “Quem tá ai?” Meio engasgado Parafuso respondeu baixinho, é o “Cascavé”, o João ficou calado, usou o vaso e antes de sair do banheiro abriu a cortina do Box deu uma de suas gargalhadas e gritou num tom de zombaria: Você não é o Cascavé não seu filho da Puta. puxou a cortina e saiu resmungando.

 

Araxá, 10/03/2010

 

Henrique da Cruz

 



Escrito por joao cesar do carmo às 10h02
[] [envie esta mensagem] []



João Pé Rodo na imprensa

CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DO LENDÁRIO

“JOÃO PÉ DE RODO”

1910–2010

Há exatos 100 anos (08/03/1910), nascia no pequeno distrito de Santo Antonio do Salto na fria e intocável Ouro Preto, aquele que se tornaria umas das figuras mais marcantes da história folclórica ouropretana.

Nascia João da Motta, mas logo se tornaria “João Pé de Rodo”. Figura humilde e carismática que conquistaria a todos pelo seu jeito singular e característico de tratar as pessoas.

“João Pé de Rodo” era filho do Sr. Manoel Luis da Mota e da Sra. Josina Ferreira Guimarães, tendo ainda mais cinco irmãos.

Logo recebeu o apelido “Pé de Rodo” graças ao tamanho desproporcional de seus pés em relação à sua altura. O que o fazia andar “arrastando” os pés.

Por muitos anos, “João Pé de Rodo” residiu na estimada República BUTANTAN, localizada na Praia do Circo ao lado da Prefeitura e lá viveu até o ano de 1986 quando mais uma estrela veio a brilhar no céu de Ouro Preto.

E por todo este período recebeu a atenção e os cuidados dos estudantes que lá residiam. Recordemos também o auxilio do Sr. Gentil de Souza, Dona Célia e Cônego Simões (desculpem a omissão de outros nomes)

Para nós (os estudantes), “João Pé de Rodo” era muito mais do que um companheiro, ele era acima de tudo nosso amigo, um filho, um pai, uma figura que apesar de sua ingenuidade demonstrava uma imensa e infinita sabedoria.

Que fique registrado a humildade e compaixão dos estudantes da Republica BUTANTAN com a figura do “João Pé de Rodo” naquela época e que sirva de exemplo para os nossos dias atuais, principalmente neste momento onde convívio entre estudantes e ouro-pretanos tem se tornado cada vez mais conflituoso

Levaríamos mais 100 anos para contar os causos e as histórias de “João Pé de Rodo”, suas noivas imaginárias, suas patentes militares, mas enfim, fica aqui a nossa homenagem e lembrança pelo centenário de nascimento de “Joãozinho” e que as futuras gerações e os mais novos não deixem cair no esquecimento os seus ensinamentos, suas respostas malcriadas e inocentes e frases ditas por ele, que traduziam o sentido simples de sua existência.

E que para sempre possa ecoar nas ladeiras de Ouro Preto, os seus passos lentos e rastejantes...

Estudantes da REPÚBLICA BUTANTAN



Escrito por joao cesar do carmo às 10h24
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]